Avião cai e mata quatro pessoas em Jequitaí (MG)

Jato caiu em Jequitaí, no norte de Minas Gerais – Foto: Reprodução / RecordTV Minas

 

Segundo o Corpo de Bombeiros, estavam no jato o dono da aeronave, a mulher dele e dois tripulantes

 

 

Quatro pessoas morreram na queda de um jato na manhã desta segunda-feira (26) em Jequitaí, no norte de Minas Gerais. Segundo o Corpo de Bombeiros, as vítimas seriam o proprietário da aeronave, a mulher dele e dois tripulantes.

 

O acidente aconteceu por volta das 7h quando com o avião de prefixo PP-OEG que saiu do aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, com destino à fazenda Fortaleza Santa Terezinha.

 

A dinâmica da queda ainda é incerta, contudo, testemunhas relataram às equipes de resgate que a aeronave caiu dentro da propriedade pouco antes de chegar à pista de pouso.

 

Acidente aconteceu dentro da fazenda

 

— Nossa equipe seguiu para o local assim que foi acionada. O atendimento conta também com o apoio de outras corporações.

 

Bombeiros e médicos do Samu fazem atendimentos

Treze militares dos bombeiros foram encaminhados para atender a ocorrência. Um helicóptero da corporação e médicos do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) também acompanham o resgate.

 

O Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) foi acionado para apurar as causas da queda e encaminhará uma equipe de peritos para a cidade.

 

Os corpos das vítimas foram recolhidos pela Polícia Civil e serão encaminhados para o IML (Instituto Médico Legal) de Montes Claros, cidade polo localizada a 100 quilômetros de distância.

 

Aeronave

 

O avião acidentado é um Citation M2 da Cessna Aircraft Company, considerado um jato leve. A aeronave foi fabricada em 2014 e permitia o transporte de até dois tripulantes e quatro passageiros. Esses modelos chegam a uma velocidade máxima de 768 km/h.

 

Segundo funcionários da fazenda, a família usava o avião a cada 15 dias em viagens para a fazenda.

 

Histórico

 

Geo era proprietário da fazenda e da aeronave que estava registrada em nome da ARG, uma das empresas do empreendedor. As terras onde aconteceu o acidente são dedicadas ao confinamento de gado de corte.

 

Fazenda é dedicada à criação de gado de corte

Além de atuar no agronegócio, o grupo ARG tem empresas nas áreas de construção pesada, infraestrutura, e oléo e gás. O R7entrou em contato com o grupo ARG e aguarda posicionamento sobre o acidente. Fonte: R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: