Dorival Caymmi é documentado pelas lentes da cineasta que apontou os caminhos de Marcelo Yuka

Foto: Cristina Granato

 

Dorival Caymmi (1908 – 2014) é tema de um terceiro documentário produzido com a intenção de perfilar o cantor, compositor e músico baiano.

 

Vinte anos após ter sido enfocado pelas lentes do cineasta Aluísio Didier no filme Um certo Dorival Caymmi (1999), esse nobre artesão das canções praieiras, dos sambas buliçosos e dos sambas-canção sem dramaticidade será visto em afetuoso recorte cinematográfico da paulistana Daniela Broitman.

 

Depois de revelar detalhes importantes da saga do compositor, baterista e ativista carioca Marcelo Yuka (1953 – 2019) no documentário No caminho das setas (2011), Broitman lança em abril, dentro da programação da edição de 2019 do festival É tudo verdade, o documentário Dorival Caymmi – Um homem de afetos.

 

O fio condutor do roteiro é uma entrevista inédita concedida por Caymmi em 1998. A cineasta entremeia as memórias e confidências do artista com entrevistas também inéditas feitas com personalidades como Caetano Veloso.

 

Cabe lembrar que, entre Um certo Dorival Caymmi e Dorival Caymmi – Um homem de afetos, foi lançado em Salvador (BA) no ano passado outro documentário sobre o genial artista baiano, Dorival Caymmi – Dê lembranças a todos (2018), filme dos irmãos Fabio Di Fiore e Thiago Di Fiore. Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: