Empresário suspeito de estuprar jovem durante meses é denunciado por oito crimes

Foto: Reprodução/TV TEM

 

MP denunciou empresário após analisar inquérito policial. Justiça expediu mandado de prisão preventiva contra suspeito, de 42 anos, em novembro. Vítima, de 19 anos, contou que abusos começaram quando ela completou 18 anos, em Buri (SP).

 

 

O Ministério Público informou nesta sexta-feira (7) que apresentou denúcia por oito crimes contra o empresário de Buri, de 42 anos, que teve a prisão preventiva decretada por ser suspeito de estuprar e agredir uma jovem de 19 anos.

 

Vancley Camilo foi preso no dia 21 de novembro após a Justiça expedir os mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão.

 

Em nota enviada ao G1, o MP afirmou que denúncia foi feita nesta quinta-feira (6) após analisar o inquérito policial.

 

Porém, como o caso está sob sigilo, não foram informados quais são os oito crimes denunciados contra o empresário.

 

Investigação e prisão

 

De acordo com a Polícia Civil, as investigações duraram quatro meses após a vítima denunciar o caso para a polícia junto com a mãe de uma amiga.

 

Em depoimento, ela contou que no início o empresário oferecia dinheiro para ela manter relações sexuais. Depois, ele começou a agir com violência durante os atos e passou a ameaçar.

 

Em depoimento à polícia, o empresário assumiu que oferecia dinheiro para manter as relações com a jovem e, segundo ele, ela aceitava. Já sobre as agressões, ele negou.

 

Ainda conforme a vítima, sempre antes das relações sexuais o homem a obrigava a usar drogas, como cocaína e maconha. Segundo as investigações, era para que a garota sentisse menos dor.

“Tratamos como estupro pela forma violenta que ele agia nas relações sexuais e também pelo fato de ameaçá-la e a coagir. Com isso, após as investigações, pedimos a prisão preventiva e a Justiça aceitou”, diz o delegado Paulo Fonseca.

 

Ainda de acordo com a polícia, o empresário também passou a ser investigado por usar vídeos íntimos da vítima como forma de ameaça e coação.

 

“A jovem alegou durante o depoimento que ele ameaçava que se ela não ficasse mais com ele ia divulgar os vídeos íntimos na internet. Com isso, ele conseguia coagir e fazer várias coisas. Mandava mensagem como ‘quero que você faça isso agora, nessa hora’. Ele a controlava e exigia que mantivesse relações sexuais com ele”, informou o delegado Paulo Fonseca.

 

O suspeito foi levado para a cadeia de Capão Bonito e o inquérito policial foi instaurado. O advogado do empresário informou na época que vai recorrer da decisão de prisão preventiva.

 

Segundo a mãe da amiga da jovem, ela está fazendo acompanhamento no posto de saúde e recebe apoio psicológico. Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: