Na semana dedicada ao tema, delegada dá dicas em relação a crianças, adolescentes e idosos

Delegada Maria Helena do Nascimento, titular da 4ª Delegacia de Polícia de Investigações Sobre Pessoas Desaparecidas – Foto: Luana Anjos

 

Pulseira com identificação e bom relacionamento familiar são algumas orientações da profissional para evitar desaparecimentos

 

 

Por Nathalia Pagliarini

 

Na semana dedicada à conscientização da população sobre a importância das buscas às pessoas desaparecidas, a delegada Maria Helena do Nascimento, responsável pelo setor da Polícia Civil que investiga casos de desaparecimento na Capital, dá algumas dicas para garantir a segurança de crianças, adolescentes e idosos.

 

O primeiro alerta da profissional diz respeito às crianças, principalmente no momento em que elas são deixadas pelos pais nas escolas. Segundo a delegada, é muito importante que os adultos sempre verifiquem se seus filhos realmente entraram na instituição de ensino.

 

O segundo ponto de atenção são os locais de grande fluxo de pessoas. “Nestes ambientes, é essencial que os responsáveis fiquem atentos às crianças”, explica Maria Helena, que também alerta sobre a necessidade de ter um adulto para cada criança quando o assunto é cuidar em espaços com este perfil.

 

Outros cuidados também dificultam o desaparecimento dos pequenos segundo a delegada. “As crianças nunca devem brincar em frente de casa sem a supervisão de um adulto. Além disso, devem usar sempre uma pulseira com seu nome e o contato do responsável”, afirma.

 

Adolescentes

 

Segundo a delegada, muitos casos de desaparecimentos de adolescentes estão relacionados à desentendimentos familiares. Por isso, ela diz ser de extrema importância que os pais mantenham um bom relacionamento com os jovens, com muito diálogo e amizade.

 

“Esses dias atendi um caso em que uma jovem desapareceu e a mãe estava desesperada. Conseguimos encontrar a menina, mas ela não queria voltar para casa”, conta Maria Helena. “Conversei com a jovem e consegui que ela e a mãe se entendessem e uma pedisse perdão para a outra. Foi lindo e marcou a minha semana”, finalizou.

 

Idosos

 

A delegada também destaca a necessidade de se ter uma atenção especial em relação a pessoa idosa para garantir sua segurança. De acordo com ela, a pessoa mais velha não deve ficar sozinha em casa, principalmente, se apresentar sinais de esquecimento, como a doença de Alzheimer.

 

“Recentemente nos deparamos com um caso em que um idoso saiu para comprar pão, como fazia todos os dias, e não conseguia lembrar onde era a sua casa para retornar”, explica Maria Helena, que também orienta os familiares a colocarem pulseiras nos idosos com identificação e o contato de um responsável, assim como é necessário em crianças. Fonte: SSP SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *