Tribunal Penal Internacional vai receber relatório da CPI da Covid em janeiro

Por Redação em 24/11/2021 às 18:35:30

A Frente Parlamentar do Observatório da Pandemia vai entregar, em janeiro, ao Tribunal Penal Internacional, em Haia, na Holanda, o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid. No documento, os senadores pedem 80 indiciamentos e atribuem nove crimes ao presidente Jair Bolsonaro.

A CPI da Covid encerrou os seus trabalhos em outubro deste ano após aprovação do relatório final. No mesmo mês, a Comissão se transformou na Frente Parlamentar Observatório da Pandemia de Covid-19.

CPI aprova relatório final, que atribui nove crimes a Bolsonaro

“Acabamos de receber a resposta ao nosso pedido de audiência ao Tribunal Internacional, agendando nosso encontro, para formalizar a entrega do relatório com pedido para que o presidente Bolsonaro seja julgado pelo crime contra a humanidade, para a segunda quinze de janeiro”, disse ao blog o vice-presidente do Observatório da Pandemia, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Segundo ele, a audiência deve ser agendada entre os dias 15 e 20 de janeiro do próximo ano e a comitiva do Observatório será recebida pelo chefe da divisão de Exames Preliminares, Rod Rastan.

Rastan é o responsável pelo encaminhamento e tramitação desse tipo de pedido dentro do Tribunal Penal Internacional. Ele vai receber os senadores em nome do procurador da Corte.

“Esse é mais um passo importante da CPI da Covid, que busca fazer justiça com as mais de 600 mil vítimas da Covid no Brasil, diante de um governo que tomou medidas equivocadas, de forma deliberada, no combate ao coronavírus”, afirmou ao blog Randolfe Rodrigues.

O Observatório, nesta quarta-feira (24), iria se encontrar também com a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), para entregar o relatório final da CPI da Covid.

O encontro acontece na véspera das primeiras providências que o procurador-geral da República, Augusto Aras, irá tomar em relação ao documento aprovado pela comissão. Aras prometeu anunciar as primeiras medidas nesta sexta-feira (26).

VÍDEOS: notícias sobre política
Comunicar erro

Comentários