TV NEWS

Homem Ă© suspeito de matar esposa a facadas e fugir com filha de 1 ano no DF

.

Por Redação em 14/05/2024 às 08:02:01
Familiares contam que casal estava junto há cerca de dois anos. Depois de três meses sem registros de feminicídio no DF, este é 6Âș caso do ano na capital. Maiqui Pedro dos Santos, de 33 anos

Reprodução

Uma mulher foi morta a facadas dentro de casa, na noite de segunda-feira (13), no Itapoã, no Distrito Federal. Segundo a Polícia Militar, o principal suspeito do crime é o companheiro da vítima (veja foto acima). Testemunhas afirmam que o homem fugiu e levou a filha do casal, uma bebê de um ano.

? Clique aqui para seguir o canal do g1 DF no WhatsApp

Depois de três meses sem registros de feminicídio no DF, este é o 6Âș caso do ano (veja detalhes abaixo).

Simone Santos Ribeiro tinha 41 anos. Maiqui Pedro dos Santos tem 33 anos e é mestre de obras. Familiares contam que o casal estava junto há cerca de dois anos e moravam na casa onde o crime ocorreu há pouco mais de um ano.

De acordo com os vizinhos, o casal não chamava muito a atenção na rua e essa foi a primeira vez que ouviram uma briga.

Feminicídios no DF

Simone Santos Ribeiro, de 41 anos, foi morta a facadas em casa

Reprodução

O feminicídio de Simone Santos foi o 6Âș registrado no DF em 2024. O último caso tinha sido no dia 5 de fevereiro. Érica Maria de Jesus, de 27 anos, estava em uma praça no Paranoá, com o namorado, quando um homem se aproximou e atirou contra ela quatro vezes. Ela estava grávida.

Em 21 de janeiro, Milena Rodrigues, de 27 anos, desapareceu e só foi encontrada duas semanas depois, na beira de um lago, em Santa Maria, com marcas de facadas.

Ainda em janeiro, outros três casos foram registrados:

No dia 15, a vitima foi Diana Faria, de 37 anos, morta em Ceilândia pelo marido. Diana já havia feito cerca de 10 boletins de ocorrência contra o suspeito.

Dois dias antes, no Recanto das Emas, Antônia Maria da Silva, de 39 anos, foi morta a facadas pelo marido na frente do filho do casal, de 3 anos.

No dia 10, no Gama, Tainara Kellen Mesquita também foi morta pelo marido, em frente ao salão onde ela trabalhava.

LEIA TAMBÉM:

Lei sancionada no DF cria banco de dados de pessoas que cometeram crimes contra mulheres

Leia mais notícias sobre a região no g1 DF.
Comunicar erro
SPJ JORNAL 2