TV NEWS

Governo estuda criar autoridade federal no Rio Grande do Sul; Wolnei Wolff e Edegar Pretto são cotados

.

Por Redação em 14/05/2024 às 11:46:10
A Advocacia-Geral da União, a AGU, ainda está desenhando a estrutura, que pode ser o modelo de uma autoridade federal ou até uma secretaria extraordinária. Governo discute criação de autoridade federal no Rio Grande do Sul

Na reunião ministerial desta segunda-feira (13), o presidente Lula sinalizou aos ministros que pretende anunciar a criação de uma autoridade federal no Rio Grande do Sul. O objetivo é ter um coordenador do governo federal na ajuda aos trabalhos de reconstrução do estado, representando o presidente nesse processo.

Em entrevista ao Em Ponto, da GloboNews, o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Wolnei Wolff, disse que a autoridade teria como exemplo a experiência do que ocorreu nos jogos olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. A Advocacia-Geral da União, a AGU, ainda está desenhando a estrutura, que pode ser o modelo de uma autoridade federal ou até uma secretaria extraordinária.

"Acredito que deve ser nos moldes do que aconteceu nas Olimpíadas. Tem uma grande equipe do governo federal que, de alguma forma, apoia o governo do estado nas grandes obras, construção da infraestrutura resiliente e que tenha recurso financeiro e pessoal adequado para que se façam essas obras no menor tempo possível", diz Wolnei.

Autoridade federal no Rio Grande do Sul deve ocorrer nos moldes das Olimpíadas, diz secretário

Segundo apuração do Valdo Cruz, Wolnei e Edegar Pretto, diretor-presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), são os nomes cogitados para assumir o papel.

Além da criação da autoridade federal, o governo deve anunciar nesta terça medidas de auxílio direto aos gaúchos afetados pela tragédia. Entre elas, uma linha de crédito para pessoas físicas com a União como garantidora e também uma espécie de "voucher" pago em uma parcela para ajudar a população que perdeu tudo a recomprar os bens que perdeu.

Lula estuda uma volta ao RS nesta quarta-feira (15) para o anúncio de novas medidas.

A reunião de ontem também serviu para o presidente fazer cobranças aos ministros. Pediu coordenação na divulgação de medidas e disse que ministros não podem assumir função de governador. O incômodo com Eduardo Leite (PSDB) foi externado em vários momentos por ministros, que reclamam que o excesso de demandas do governador transferem responsabilidades do estado para a União.

Lula também reclamou do que considera o excesso do uso de aviões da FAB por ministros para ir ao Rio Grande do Sul. Disse que as viagens precisam ser coordenadas com quem está lá. Também disse que as viagens internacionais de ministros devem ser melhor justificadas.

Lula, Pacheco e ministros fazem reunião remota com governador do RS, Eduardo Leite

PR/Reprodução

Veja, abaixo, alguns dos temas tratados na reunião:

autoridade federal no RS;

coordenação para o anúncio de medidas;

ajudar sem assumir papel do governo do estado;

financiamento e vale para pessoas afetadas;

excesso de viagens ao RS com voos da FAB.

justificativa para viagens internacionais.
Comunicar erro
SPJ JORNAL 2