TV NEWS

VoluntĂĄrios do ParanĂĄ ajudam na recuperação do cavalo Caramelo e outros animais nas enchentes do Rio Grande do Sul

.

Por Redação em 14/05/2024 às 14:16:35
Grupo de nove veterinários e universitários resgatou cerca de três mil animais em cinco dias. Voluntários também levaram medicamentos e outros itens voltados a tratamentos. Veterinários do Paraná ajudam no resgate de animais no RS

Um grupo de nove médicos veterinários e universitários da região de Guarapuava , no centro do Paraná, está no Rio Grande do Sul auxiliando no resgate e tratamento de animais afetados pelas enchentes.

Entre os pacientes está o cavalo que ficou ilhado em um telhado e causou comoção nas redes sociais, ganhando o apelido de Caramelo.

? Siga o canal do g1 PR no WhatsApp

? Siga o canal do g1 PR no Telegram

Voluntários do Paraná ajudam na recuperação do cavalo Caramelo e outros animais nas enchentes do Rio Grande do Sul

Reprodução/RPC

O grupo viajou 700 km e chegou a Canoas (RS) na madrugada da quinta-feira (9). Em cinco dias, eles estimam que resgataram mais de três mil animais e trataram diversos outros.

"A gente veio com o carro lotado de medicamentos, o que a gente pode trazer a gente trouxe pra cá, para auxiliar os médicos veterinários que já estavam aqui também. [...] Tem dias que a gente consegue resgatar bastante animais, tem dias que menos, porque eles estão muito assustados. Tem animais que estão há uma semana presos em telhados", conta a veterinária Ivna Michaliszyn.

O grupo se dividiu em dois: sete voluntários ajudam nos resgates aos animais pequenos, como cães e gatos, e dois se dedicam ao atendimento de grandes animais, como cavalos.

Leia também:

OUÇA: Fisioterapeuta que denunciou Jorge Bischoff por importunação sexual durante massoterapia relatou medo a amiga: 'Não via a hora de sair'

Jogo do Tigrinho: Influencer suspeito de movimentar milhões com jogo está foragido em Dubai

Justiça: Homem acusado de matar enteada para mãe da vítima ficar com a guarda do neto tem júri adiado

O cavalo Caramelo se transformou em um símbolo das enchentes gaúchas, mas ele é apenas um dos milhares de animais que sofreram ou estão sofrendo com o desastre climático, destaca a veterinária Dayane dal Molin.

"Nós temos muitos outros animais que estão mais debilitados que ele, então a gente tem que parar para pensar também que não é só o Caramelo. Lógico, ele foi um exemplo de determinação e força do cavalo, e foi um resgate muito legal, muito emocionante, todo mundo ficou muito feliz - mas é só a 'pontinha do iceberg'", ressalta a profissional.

Como ajudar as vítimas das enchentes do Rio Grande do Sul no Paraná

Várias cidades do Paraná estão mobilizadas para receber doações e ajudar as vítimas das chuvas no Rio Grande do Sul.

A tragédia deixou dezenas de mortos, feridos e desaparecidos, além de milhares sem casa.

Todos os quartéis do Corpo de Bombeiros, Postos de Brigada Comunitária e unidades da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Paraná receberão, ao menos até 22 de maio, doações de:

alimentos não perecíveis;

água;

produtos de higiene;

produtos de limpeza.

Além dos itens acima, o Corpo de Bombeiros também está arrecadando doações de:

colchões;

cobertores;

itens de cozinha (panelas, pratos, garfos, facas, colheres, copos, panos de prato e outros itens de cozinha em bom estado);

roupas de banho e de cama.

roupas de frio para crianças, mulheres e homens. Preferencialmente itens confortáveis e limpos.

calçados

pijamas

meias e roupas íntimas. Preferencialmente roupas íntimas novas.

Da mesma forma, todas as agências dos Correios no Paraná estão recebendo as doações. A estatal está coletando e transportando gratuitamente os donativos. São aceitos alimentos da cesta básica, produtos de higiene pessoal, material de higiene seco e itens de vestuário.

LEIA TAMBÉM: Saiba como organizar os itens antes de doar para o Rio Grande do Sul

Prefeituras, empresas e organizações da sociedade civil também estão recebendo doações.

Veja os pontos de coleta por cidade

Vídeos mais assistidos do g1 PR:

Leia mais notícias da região em g1 Campos Gerais e Sul
Comunicar erro
SPJ JORNAL 2