TV NEWS

PolĂ­cia prende 2 suspeitos de monitorar vĂ­tima executada por disputas do jogo do bicho

Fernando Marcos Ferreira Ribeiro, conhecido como Fabinho, foi morto em plena luz do dia na Tijuca em abril do ano passado.

Por Redação em 11/06/2024 às 06:57:47
Foto: G1 - Globo.com

Foto: G1 - Globo.com

Fernando Marcos Ferreira Ribeiro, conhecido como Fabinho, foi morto em plena luz do dia na Tijuca em abril do ano passado. A Delegacia de Homicídios da Capital cumpriu nesta terça-feira (11) 3 mandados de prisão preventiva contra suspeitos de monitorar e repassar informações para a execução de Fernando Marcos Ferreira Ribeiro, conhecido como Fabinho, em 6 de abril de 2023.

Fernando, de acordo com as investigações, era ligado ao contraventor Bernardo Bello, que tinha controle sobre os pontos de jogo do bicho na região da Tijuca na época do crime.

Um dos alvos nesta terça é um PM do 15Âș BPM (Duque de Caxias), que já estava encarcerado. Allan dos Reis Mattos foi preso por porte de arma ilegal. Em seu carro, a polícia encontrou armas de numeração raspada.

Outros 2 alvos presos são Marcos Paulo Gonçalves Nunes, pego em Duque de Caxias, e Vitor Luis de Souza Fernandes, capturado no Engenho de Dentro. Ao g1, Vitor disse ser inocente.

A Delegacia de Homicídios tem indícios de que ambos participaram do monitoramento à vítima. Vídeos obtidos pela polícia mostram Fernando sendo seguido em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, 1 dia antes de ser assassinado. Allan aparece nas imagens de câmeras de segurança.

Câmera de segurança flagrou momento em que homem foi morto a tiros na Tijuca

Adilsinho não é alvo da operação desta terça-feira, mas é citado nas investigações como o "patrão" dos 3 alvos com mandado de prisão.

Testemunhas contaram que, quando homens ligados ao bicheiro Adilson Oliveira Coutinho Filho, o Adilsinho, avisavam que a área estaria sob novo domínio, entregavam aos donos dos pontos da contravenção um número de telefone. A linha telefônica, de acordo com as investigações, pertencia a Marcos Paulo.

Vídeo mostra assassinato

O assassinato da vítima, em plena luz do dia na Tijuca, foi um dos episódios da guerra entre contraventores por territórios para exploração de negócios na região.

Dois criminosos com toucas ninja desceram de um carro e balearam Fernando Marcos, que morreu na hora. Dentro do veículo havia pelo menos outros dois homens. O grupo fugiu.

Fernando tinha anotações criminais por jogos de azar e pertencia à quadrilha de Bernardo Bello, que dominava os pontos da contravenção da região da Tijuca naquele momento, além da Zona Sul.
Comunicar erro
SPJ JORNAL 2