TV NEWS

'Ele agarrou meu seio direito', diz mulher que denunciou empresĂĄrio por importunação sexual em elevador

.

Por Redação em 11/07/2024 às 11:27:40
Caso ocorreu no dia 19 de junho e foi registrado pela câmera de segurança do elevador. Defesa do empresário diz que não houve importunação contra a mulher e que queria alertá-la sobre o risco do tabagismo. Mulher denuncia empresário Emanoel Gurgel por importunação sexual em elevador de condomínio residencial em Fortaleza

Globo/Reprodução

O ex-empresário de forró Emanoel Gurgel, de 71 anos, foi denunciado por uma mulher por importunação sexual em um elevador de um prédio residencial no Bairro Passaré, em Fortaleza.

? Clique aqui para seguir o canal do g1 Ceará no WhatsApp

"De repente ele já entrou pegando no meu braço, pegando na minha mão, perguntando quem era minha manicure. Eu falei que não tinha manicure, eu fazia minhas unhas. Ele solta a minha mão e agarra o meu seio direito. Eu gritei: 'Epa, aqui não!'", disse Maria Palmira, em entrevista ao Encontro, nesta quinta-feira (11).

O caso ocorreu no dia 19 de junho, mas só ganhou repercussão na última terça-feira (9), quando Maria Palmira Silva, de 67 anos, aceitou falou pela primeira vez sobre o episódio, registrado pelas câmeras de segurança.

Mulher denuncia ex-empresário do forró por importunação sexual em elevador

A Delegacia de Defesa da Mulher é a responsável pelas investigações sobre a denúncia de importunação.

LEIA TAMBÉM:

Mulher que denuncia empresário por assédio diz que foi segurada pelo braço: 'Minhas pernas tremiam'

Empresário e ex-presidente de time de futebol: quem é o denunciado por importunação sexual em Fortaleza

Mulher denuncia ex-empresário do forró por importunação sexual em elevador; veja vídeo

Veja o que se sabe sobre o caso:

Qual foi a denúncia?

Enfermeira denunciou empresário de bandas de forró por importunação sexual em elevador de Fortaleza

Reprodução

Conforme Maria Palmira, às 5h25 do dia 19 de junho deste ano, ela entrou no elevador e pouco depois Emanoel Gurgel também entrou. Eles conversam brevemente e, em seguida, o empresário pegou na mão de Palmira. Logo depois, ele apalpou os seios dela.

"Ele veio para perto de mim, pegou no meu braço, pegou na minha mão, olhou assim. Ele já soltou minha mão e segurou o meu peito, aí eu: 'Epa, aqui não!' Eu tive um ataque cardíaco, eu pensei que eu ia desmaiar, minhas pernas tremiam e ele tentou desconversar", disse a vítima.

Após saírem do elevador, Gurgel foi para a garagem do edifício, enquanto Palmira ficou "parada, uns cinco minutos, chorando. Depois que ela foi perguntar ao porteiro e descobriu quem era". No mesmo dia, ela procurou uma delegacia e fez o boletim de ocorrência contra Gurgel.

"Quando o elevador chegou no térreo, ele segurou o meu braço e disse, você não vem comigo? Aí eu saí correndo. E uns cinco metros em frente à garagem do apartamento que eu estava tem um hidrante e eu desabei num choro, me sentindo horrível", falou Maria.

Quem é o homem denunciado?

Natural do município de Jaguaribe, no interior do Ceará, Emanuel Gurgel se destacou na década de 1990, quando começou a investir em bandas de forró e foi apontado como o precursor do forró eletrônico no país.

Antes de virar empresário, Gurgel foi camelô. Também vendeu roupas com a mãe pelos bairros de Fortaleza, foi árbitro de futebol e professor de educação física.

Ele é o criador da Banda Mastruz com Leite, conhecida nacionalmente e com mais de 30 anos de carreira. Além disso, chegou a administrar um conglomerado de bandas de forró, com 11 grupos musicais.

Além do meio musical, Gurgel também foi presidente do Ceará Sporting Club e, atualmente, possui negócios voltados para radiodifusão. O ex-empresário é casado há 25 anos e pai de sete filhos.

Quem é a mulher que fez a denúncia?

Maria Palmira Silva nasceu no Ceará, mas estava morando em Cuiabá, em Mato Grosso, há décadas. Ela é enfermeira aposentada e voltou em junho para Fortaleza. Até então, a enfermeira estava no apartamento da irmã, de 74 anos, onde ocorreu o caso.

Após a denúncia, ela deixou o edifício e está recebendo assistência psicológica por parte da equipe da Delegacia de Defesa da Mulher.

O que diz a defesa do empresário?

Em nota, a assessoria jurídica e de comunicação de Emanoel Gurgel disse que o empresário "tentou apenas alertar a senhora sobre os riscos do tabagismo, citando que seu próprio pai faleceu devido a isso. Não houve qualquer tipo de postura indevida".

A nota destaca também que Emanoel é casado, pai de 7 filhos e "está cooperando integralmente com as autoridades para esclarecer os fatos". (Veja a nota na íntegra abaixo)

Em resposta à acusação, Emanoel Gurgel afirma que recebeu com surpresa a notícia. Ele esclarece que tentou apenas alertar a senhora sobre os riscos do tabagismo, citando que seu próprio pai faleceu devido a isso. Não houve qualquer tipo de postura indevida. Emanoel tem 71 anos, é pai de 7 filhos e é casado há 25 anos. Ele é ex-empresário de grupos musicais e, hoje, atua com radiodifusão. Emanoel Gurgel reafirma seu compromisso com o respeito e a dignidade de todas as pessoas, e está cooperando integralmente com as autoridades para esclarecer os fatos. Ele afirma que é inocente e que a verdade prevalecerá. E agradece o apoio de todos durante este momento. Os advogados de Emanoel esclarecem ainda que o inquérito corre em segredo de justiça e que seu cliente ainda não foi notificado da suposta acusação.

O que a polícia diz sobre o caso?

A Secretaria de Segurança Pública do Ceará (SSPDS) informou que Maria Palmira procurou a Delegacia de Defesa da Mulher após a ocorrência e que, no momento, a Polícia Civil está ouvindo testemunhas.

O que é importunação sexual segundo a lei?

A importunação sexual é crime tipificado pela Lei 13.718/18 e é caracterizada pela conduta de ato libidinoso na presença de alguém e sem sua anuência. A inclusão do ato como crime entrou em vigor em setembro de 2018. O crime de importunação sexual prevê pena de 1 a 5 anos de prisão.

Caso não haja uma Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) no município, as denúncias devem ser feitas em qualquer delegacia ou pelos telefones 197 (importunação), 190 (emergência) ou 123 (violação de direitos).

Idosa denuncia importunação sexual em elevador; defesa nega

Assista aos vídeos mais vistos do Ceará:
Comunicar erro
SPJ JORNAL 2