Vídeo: Acompanhado de criança, homem põe fogo em araucária e revolta vizinhos no Mossunguê

Por Redação em 24/01/2022 às 10:12:26

Imagens de câmeras de segurança que mostram um homem colocando fogo em um monte de grimpa ao lado de uma araucária, acompanhado de uma criança de bicicleta, revoltou moradores do bairro Mossunguê, em Curitiba. O fato foi registrado por volta das 23 horas de domingo (23).

Reprodução/ Vídeo

No vídeo, uma rapaz alto e mais uma criança com uma bicicletinha se aproximam do montinho de grimpa que estava ao lado de uma araucária , árvore símbolo do Paraná, e homem começa a pôr fogo. Depois os dois saem tranquilamente.

“Um morador fez a limpeza da frente da casa e juntou o montinho de grimpa e colocou num saco certinho para a prefeitura levar. E o homem chegou e tacou fogo. Simples assim”, protestou um morador que presenciou a cena.

Segundo, em entrevista à Banda B, depois do incêndio, os barulhos das chamas começaram a aumentar.

“O pessoal do prédio ao lado viu e começou a gritar. Eu desci com a minha esposa, tentei passar um pouco do extintor, mas grimpa é muito complicada”, lembra.

O morador lamentou o fato e lembrou que a araucária é altamente inflamável.

“Revolta porque é no pé de uma araucária. A gente procura cuidar, mas sempre tem um espírito de porco que taca fogo. A casca da araucária tem muita resina então não ia terminar nunca até que ela caia”, lembrou.

Desmatamento de araucárias

A araucária, também conhecida como pinheiro do paraná e típica da região Sul, enfrentou sérios problemas por causa do desmatamento. Essa árvore brasileira surgiu há mais de 200 milhões de anos e enfrentou mudanças climáticas drásticas. A espécie depende do vento e da sorte para se reproduzir.

As copas da araucária chegam a 50 metros de altura e os galhos se esticam em todas as direções. Esse foi o jeitinho que araucária encontrou para receber mais luz que as concorrentes na floresta. As folhas parecidas com espinhos, de tom verde bem escuro, funcionam como um filtro aos raios nocivos. A espécie depende do vento e da sorte para se reproduzir.

Tags:   Policiais
Comunicar erro

Comentários