Preços do petróleo operam em queda de mais de 4%

Por Redação em 22/06/2022 às 08:52:40

Barril de Brent cai abaixo de US$ 110 nesta quarta-feira (22). Já o minério de ferro caiu para mínima de 16 semanas. Petróleo Brent

Reuters

Os preços do petróleo são negociados em queda de mais de 4% nesta quarta-feira (22), em dia de recuo nos preços das commodities nos mercados.

Perto das 7h40, o barril do petróleo Brent caía 4,07%, cotado a US$ 109,98, enquanto que o petróleo dos EUA (WTI) recuava 4,47%, a US$ 104,62.

A queda ocorre em meio a temores de uma recessão global e com a expectativa de uma suspensão temporária em um imposto federal sobre a gasolina nos Estados Unidos.

O aumento da inflação e a expectativa de alta mais agressiva dos juros por parte dos bancos centrais têm reavivado preocupações sobre a desaceleração do crescimento global.

Como EUA e Brasil enfrentam alta da gasolina

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse que, até o fim da semana, irá tomar uma decisão sobre a possibilidade de pausa temporária em um imposto federal sobre gasolina. A ideia de pausar esse imposto, de US$ 0,18 (cerca de R$ 0,94) por galão, é uma entre várias medidas avaliadas pelo governo americano, e precisaria de aprovação do Congresso.

Na véspera, o petróleo Brent fechou em alta de 0,5%, a US$ 114,65 o barril, enquanto que o petróleo WTI fechou a US$ 110,65 dólares, com um ganho de 1%.

Minério de ferro

Na China, os contratos futuros de minério de ferro de caíram nesta quarta-feira para seu menor nível em 16 semanas.

O contrato de minério de ferro para setembro na bolsa de commodities de Dalian encerrou as negociações diurnas em queda de 6%, a 709,50 iuanes (US$ 105,57 dólares) a tonelada, estendendo as perdas para a nona sessão consecutiva. No início do dia, o contrato caiu para 698,50 iuanes, o menor nível desde 1º de março.

"Os mercados estão particularmente preocupados que as expectativas de crescimento da demanda ligadas à promessa da China de aumentar o investimento em infraestrutura possam não se materializar, especialmente com a política de zero Covid do país ainda em vigor", disse o analista do Commonwealth Bank of Australia, Vivek Dhar.
Comunicar erro

Comentários