Plataforma de recrutamento mostra áreas e cargos com maiores contratações

Por Nardel Azuoz em 03/08/2022 às 14:36:45
O setor varejista foi o que mais contratou no período, com 20,37% do total; já a área operacional das empresas foi a que gerou o maior volume de vagas desde 2015: 26,23%. Setor varejista foi o que mais contratou

Celso Tavares/G1

A plataforma de recrutamento e seleção Gupy alcançou 1 milhão de profissionais contratados desde sua fundação, em 2015, entre os mais de 30 milhões de usuários cadastrados. Por isso, a HR tech divulgou um levantamento sobre os perfis das contratações e os locais com maior demanda nos quase sete anos de atividade, entre outubro de 2015 e junho de 2022. O setor varejista foi o que mais contratou no período, com 20,37% do total.

“Isso se dá pela natureza das vagas - a maioria é operacional e costuma ter um volume maior de posições por vaga, ou seja, mais de uma pessoa candidata pode ser contratada para a mesma vaga. Além disso, trata-se de um setor que costuma ter mais rotatividade nos postos de trabalho, o que faz com que as empresas varejistas precisem contratar um grande volume de profissionais regularmente e com uma certa agilidade”, explica a CEO e cofundadora da Gupy, Mariana Dias.

O setor de TI contabilizou um volume de oportunidades menor (8,13%), atrás apenas do setor de saúde (8,55%). Segundo Mariana, isso se dá porque as vagas relacionadas à tecnologia ainda demandam conhecimentos bastante específicos.

Em seguida vêm os setores de serviços financeiros (6,03%), atacado (5,97%), telecomunicações (4,53%), indústrias no geral (3,74%), serviços (3,19%) e educação (2,94%).

Área operacional lidera

A área operacional das empresas foi a que gerou o maior volume de vagas de emprego desde 2015: 26,23%, seguida das áreas de finanças e administração (17,13%), tecnologia (14,17%), comercial (12,65%), atendimento (7,18%), recursos humanos (3,57%), logística (3,56%), engenharia (3,19%) e comunicação e marketing (3,13%).

Auxiliar, operador e analista têm maior demanda

O levantamento aponta que a maioria das contratações ocorreu para os cargos de auxiliar (23,78%), operador (22,73%) e de analista (20,21%), seguido por técnico (6,59%), especialista (4,88%), consultor (4,58%) supervisor (4,49%), estagiário (4,45%), gerente (3,12%), desenvolvedor (2,21%), coordenador (1,58%), jovem aprendiz (0,81%), trainee (0,42%) e diretor (0,15).

Sudeste é campeã de contratações

A região Sudeste foi a que mais gerou empregos no país (57,46%), seguida pelo Sul (23,24%), Nordeste (10,34%), Centro-Oeste (6,22%) e Norte (2,74%).

Por estado, São Paulo contabilizou o maior número de contratações: 42,47%, seguido pelo Rio Grande do Sul (9,08%), Paraná (8,04%), Rio de Janeiro (7,68%), Santa Catarina (6,13%), Minas Gerais (5,62%), Ceará (2,69%), Bahia (2,51%) e Goiás (2,25%).

Candidatos à procura de vagas

A região Sudeste teve o maior número de candidatos em busca de emprego: 54,64%. Em seguida, aparecem Nordeste (18,37%), Sul (16,13%), Centro-Oeste (5,47%) e Norte (5,4%).

Por estado, São Paulo contabilizou o maior número de candidatos: 34,69%, seguido do Rio de Janeiro (11,32%), seguidos de Minas Gerais (6,62%), Paraná (6,11%), Rio Grande do Sul (5,99%), Bahia (4,89%), Santa Catarina (4,03%), Ceará (3,58%) e Pernambuco (3,14).

Empresas grandes contratam mais

As grandes empresas, com mais de 1 mil colaboradores, foram as responsáveis pelo maior volume de contratações na plataforma no período de outubro de 2015 a junho de 2022 (77,27%), seguidas pelas que possuem entre 200 a 1 mil funcionários (15,7%) e entre 1 e 200 colaboradores (7,03%).

Trabalho presencial predomina

Apesar de a pandemia ter incentivado a adesão das empresas ao home office, contribuindo para o crescimento do trabalho remoto ou híbrido, o formato de trabalho presencial prevaleceu em 90,5% das contratações.
Comunicar erro

Comentários