Caminhão com provas de concurso público da Polícia Civil de RR fazia mudança de amigo do motorista, indicam depoimentos

Por Nardel Azuoz em 03/08/2022 às 18:22:09
Além das provas, estavam no baú uma cama, um condensador de ar, roupas e um choppeira. Motorista declarou que não sabia que transportava provas de concurso. Caminhão saiu da rota na última sexta-feira (29) e concurso foi adiado após a violação. Caminhão com provas de concurso público da Polícia Civil de RR fazia mudança de amigo do m

Em depoimento prestado a polícia, o motorista do caminhão que foi extraviado ao transportar as provas do concurso público da Polícia Civil de Roraima informou que ajudava um amigo a fazer uma mudança. Os depoimento foram acessados com exclusividade pela Rede Amazônica nessa terça-feira (2).

LEIA MAIS:

Concurso público da Polícia Civil de RR é adiado após caminhão que transportava provas sair da rota

Caminhão com provas de concurso público da Polícia Civil de Roraima passa por desvio de rota

Além das provas, estavam no baú uma cama, um condensador de ar, roupas e um choppeira. O caminhão saiu da rota na última sexta-feira (29) e foi encontrado pelas polícias Civil e Militar no Residencial Vila Jardim bairro Cidade Satélite, zona Oeste de Boa Vista. (Veja o vídeo acima).

“Caramba, você trouxe a mudança inteira! O lacre [do caminhão] rompido aqui. Ele trouxe outros materiais junto com a carga, mas aparentemente não mexeu nas provas. A carga tá fechadinha”, diz um dos policial durante a revista.

O motorista é funcionário da empresa L'auto Cargo há oito meses. A empresa foi contratada pela Fundação Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp), banca responsável pelo concurso.

Ao g1, a banca informou que está "adotando todas as medidas pertinentes ao caso". (Leia a nota na íntegra abaixo). Já a transportadora L'auto Cargo não respondeu até a última atualização da reportagem.

Durante o depoimento, o motorista detalhou que residia em Manaus (AM) e recebeu o trabalho de trazer a carga no último dia 28 deste mês, mas não foi informado exatamente o que iria trazer e nem o horário para entregar a carga.

Por conta das provas extraviadas, o concurso público foi adiado nessa terça-feira (2). O desvio na rota do caminhão foi divulgado pela Polícia Civil nessa segunda-feira (1º). As provas estavam marcadas para serem realizadas em dois finais de semana, nos dias 6 e 7 de agosto (manhã e tarde) e nos dias 13 e 14.

Procurado, o governo de Roraima disse que A Polícia Civil de Roraima informa que as investigações sobre o desvio da rota do caminhão "estão em curso" e aguarda um novo cronograma para a realização do concurso (Leia a nota na íntegra abaixo).

Cães farejadores foram usados no baú do caminhão

Reprodução

Durante uma solenidade do governo, nessa terça-feira (2), o governador, Antonio Denarium (PP), afirmou que as provas devem ser realizadas no próximo mês. Segundo ele, a banca responsável pelo certame deve enviar nova provas. Foi informado que apenas o lacre do baú do caminhão foi violado, sem violação nos malotes das provas.

O responsável da Vunesp por receber as provas em Boa Vista disse à polícia em depoimento acessado pela Rede Amazônica que os exames estavam vindo de São Paulo até Manaus, capital amazonense, de avião. De Manaus até Boa Vista o trajeto seria feito de caminhão pela transportadora L'auto Cargo.

A previsão era que as provas fossem entregues em um hotel na capital, o que não ocorreu. Ele disse que o caminhão chegou em Boa Vista no dia 29 de julho.

O rastreamento do caminhão, de acordo com ele, é de responsabilidade da transportadora, com o acesso liberado para a Vunesp. Ele foi informado que o caminhão já estava em Boa Vista, mas não chegou no hotel no horário marcado.

O responsável tentou ligar para o motorista do caminhão, mas não foi atendido. Após as tentativas, o caminhão foi localizado via satélite.

Caminhão estava apenas com o lacre do baú violado

Reprodução

Ajuda na mudança

Durante o depoimento, o motorista afirmou que um amigo estava precisando de ajuda para carregar sua mudança de Manaus até Boa Vista. Ele conhecia o amigo há dois anos e afirmou que ele também é amigo de sua esposa.

Assim, ofereceu para levar suas coisas no caminhão. Ele rompeu o lacre do baú para embarcar os pertences do amigo.

Os itens pessoais incluíam uma cama, um condensador de ar, sacolas com roupas e um até uma choppeira dividindo espaço com as provas que seria aplicadas no certame no baú do caminhão.

Ele declarou ainda que não sabia que o caminhão estava lacrado e nem quem fez o embarque das cargas. O caminhão já estava pronto para e apenas "recebeu a missão" de pegá-lo em frente a empresa.

O motorista só soube que tinham outros lacres no caminhão quando parou no posto fiscal de Jundiá, em Rorainópolis, Sul de Roraima. Também destacou no depoimento que, durante o trajeto, "ninguém mexeu na carga".

Já o amigo informou que durante o trajeto para Boa Vista, no município de Iracema, o alarme do rastreador começou a tocar, no entanto, não sabia o motivo. O motorista tentou contato com o gerente da transportadora para avisar sobre o possível bloqueio do caminhão, mas não disse se obteve retorno.

Ele chegou em Boa Vista por volta das 19h, e foi até o Vila Jardim para descarregar os objetos. Questionado sobre o porquê de não atender o telefone, o motorista respondeu que parou na casa do amigo, em seguida foi jantar e deixou o aparelho carregando.

O caminhão só foi bloqueado pelo sistema de segurança quando estava próximo a casa do amigo do motorista. Já no Vila Jardim, os dois saíram para jantar e não tiraram os objetos pessoais do caminhão, pois chovia muito, segundo o amigo.

O motorista se deparou com a polícia e funcionários da Vunesp no local após sua esposa ligar para ele e informar que o aguardavam no caminhão. Um cão farejador foi usado nas buscas no interior do compartimento de carga do caminhão e nada ilegal foi encontrado.

O motorista disse não saber que haveria um concurso público em Roraima e que "não tinha intenção de desviar carga transportada ou violar sigilo das provas" por nem saber o que estava levando.

Após ser desbloqueado, o caminhão foi escoltado até a cidade da Polícia Civil. A Vunesp chegou a lacrar a carga novamente. Após a perícia, todos foram encaminhados para a Delegacia, assim como a carga. Não há informações sobre a prisão ou liberação do motorista.

Adiamento do certame

Cidade da Polícia Civil de Roraima

Divulgação/Secom

Segundo o governado de Roraima, Antonio Denarium (PP) a nova data para o exame será "no próximo mês".

“Eu determinei que a Polícia Civil abra um inquérito para investigar a situação e suspenda o concurso da Polícia Civil. Isso para dar credibilidade, lisura e transparência no concurso. Serão emitidas novas provas, que virão no próximo mês para o estado de Roraima”, disse.

As provas estavam marcadas para serem realizadas em dois finais de semana, nos dias 6 e 7 de agosto (manhã e tarde) e nos dias 13 e 14. Na ocasião, o governo de Roraima informou que a decisão foi tomada em "comum acordo" com a Vunesp.

De acordo com a Polícia Civil, quando a equipe de monitoramento percebeu o desvio na rota do caminhão de transporte, gerou o bloqueio imediato do veículo. A Polícia Militar foi acionada para verificar se a carga estava sendo aproveitada para fazer o transporte de material ilícito.

A Civil declarou que "não foram identificados lacres comprometidos ou sinais que pudessem sugerir qualquer ação que pudesse indicar a quebra do sigilo da prova".

Concurso

O concurso da Polícia Civil foi anunciado em abril deste ano. No total, o certame oferta 175 vagas para cargos de nível médio e superior com remuneração inicial de até R$ 20 mil. O único concurso realizado pela Polícia Civil de Roraima ocorreu em 2003, há 19 anos.

Estão inscritos 24.093 candidatos para concorrer às 175 vagas oferecidas no concurso público. As provas estavam marcadas para serem realizadas em dois finais de semana, nos dias 6 e 7 de agosto (manhã e tarde) e nos dias 13 e 14.

No primeiro final de semana, as provas seriam realizadas para os cargos de agente de polícia, escrivão, médico-legista, odontolegista, perito criminal (várias especialidades/áreas), perito papiloscopista, auxiliar de perito criminal e auxiliar de necrópsia, todos relativos à instituição, conforme descrito no edital.

Já nos dias 13 e 14 de agosto, nos horários matutino e vespertino, aconteceria a aplicação de provas do certame, desta vez para o cargo de delegado de Polícia Civil.

Nota da Vunesp

Em relação ao questionamento sobre o transporte das provas do concurso para a Polícia Civil de Roraima, a Fundação Vunesp informa que utilizou os serviços de uma empresa especializada para realizar o transporte com exclusividade e com rota específica traçada, com carga lacrada em veículo monitorado. Assim que percebeu o desvio na rota, a Vunesp acionou a Polícia Civil. A Vunesp está adotando todas as medidas pertinentes ao caso.

Nota do governo

A Polícia Civil de Roraima informa que as investigações sobre o desvio da rota do caminhão que transportava provas do Concurso Público da Polícia Civil, estão em curso.

Informa ainda que, em relação à realização das provas, aguarda um novo cronograma para realização do certame.
Comunicar erro

Comentários