5G em São Paulo: veja testes de velocidade em pontos da cidade

Por Nardel Azuoz em 04/08/2022 às 21:56:30
Antenas estão concentradas nas regiões central e Sul, mas cobrem apenas 25% da área urbana. G1 testa velocidade do 5G em São Paulo

Apesar da ativação da faixa principal do 5G em São Paulo, nesta quinta-feira (4), o acesso à nova geração da internet móvel ainda é para poucos. Além de exigir celulares compatíveis, faltam antenas: foram instaladas 1.378, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), mas a cobertura ainda é de apenas 25% da área urbana.

LISTA: quais celulares são compatíveis

ENTENDA: os tipos de conexão 5G

Durante a manhã, o g1 conseguiu uma velocidade de download de cerca de 500 Mbps (megabits por segundo) de velocidade download com a conexão na região do Centro Cultural São Paulo, perto da Avenida 23 de Maio, e 400 Mbps na Avenida Paulista. É um valor bem superior ao do 4G, que pode atingir por volta de 100 Mbps em boas condições.

Nas redes sociais, muita gente reclamou da falta de acesso. Alguns que tinham o nome 5G na tela do celular se queixaram da baixa velocidade ou de oscilação.

Por que conexão 5G 'pura' ainda é para poucos

São Paulo é a cidade do Brasil com mais linhas móveis de telefonia (27,7 milhões) e o estado concentra o maior número de celulares (77,6 milhões).

Mas o Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa (Gaispi) estima que, neste primeiro momento, a capital terá apenas 25% da área urbana com cobertura 5G.

Segundo a Anatel, as 1.378 antenas de transmissão que devem entrar em funcionamento a partir desta quinta representam o triplo do mínimo necessário para a agência permitir a ativação na faixa de 3,5 GHz, a principal do 5G.

Mas o número é bem inferior às 4.592 estações de outras áreas (4G, 3G) que existem na capital paulista.

Como ativar?

O ponto principal é ter um celular compatível com o 5G: VEJA A LISTA

Para quem tem, as três maiores operadoras telefônicas da capital (Claro, TIM e Vivo) explicam que não é necessário fazer nada para "ativar" o 5G: ele entra em ação automaticamente quando o aparelho estiver próximo de uma antena.

CONHEÇA os tipos de conexão 5G que existem

Vai custar mais caro? Tem que trocar chip?

Já para o uso, as empresas têm regras e exigências diferentes. Veja o que elas dizem:

Claro

A Claro chama o serviço de 5G+ e informa que não será necessária a troca de chip ou compra de um novo plano de dados móveis. A operadora afirma que terá antenas em 52 bairros da capital paulista.

Vivo

Clientes com o chip 4G já tinham acesso ao 5G non-standalone (NSA), que começou a ser implantado pela operadora no final de 2021. Em termos de velocidade, ele oferece a mesma experiência que o 5G "puro" ou "standalone" (SA), que começa a ser oferecido agora.

Mas o SA tem menor tempo de resposta: é o tipo de 5G que, no futuro, promoverá grandes avanços como carros compartilhados.

Entenda a diferença entre o 5G SA e o NSA

Ambos usam a faixa que será ativada nesta quinta, mas o NSA também dispõe de uma outra faixa, a 2,3 GHz, por isso ele predomina no Brasil e no mundo.

Especificamente para acessar o 5G SA com a Vivo será necessário usar um chip compatível com a tecnologia. A operadora não informou o preço.

Os clientes terão acesso de forma gratuita a ambos os tipos de 5G, sem cobranças adicionais no plano.

A operadora afirma que o 5G estará em 54 bairros da capital. Os pontos das zonas Sul e Oeste da capital paulista são os que têm a maior conectividade, com destaque para a região da Vila Olímpia, Itaim Bibi, Cidade Monções. Na Avenida Paulista, a área de cobertura está na altura do Parque Trianon.

TIM

Quem usa Tim também precisará ativar um novo plano, que será lançado em 18 de agosto, para acessar o 5G "puro" (SA). Não será necessária a troca de chip. Para o acesso ao 5G NSA não haverá cobrança extra, diz a empresa.

Essa oferta terá um pacote de 50GB de internet, conteúdos de games inclusos e será gratuita por 12 meses após sua ativação. Nesta quinta-feira (4), a operadora informou que oferecerá o serviço em todos os bairros da capital paulista, com a instalação de mais de mil antenas até o fim de agosto.
Comunicar erro

Comentários