Suplementos de vitamina D podem melhorar memória mas reduzem tempo de reação

A falta de vitamina D causa síndrome metabólica nas mulheres, mas os suplementos de vitamina D não parecem cumprir o que prometem.
[Imagem: Sue Shapses/Rutgers University-New Brunswick]

Quanto tomar de vitamina D?

 

A vitamina D tem mais benefícios do que os cientistas pensaram durante décadas.

 

Contudo, um exagero no uso de protetores solares disseminou a falta de vitamina D na população, sobretudo entre as crianças.

 

E, em vez de tomar Sol, grande parte da população se voltou para os suplementos de vitamina D, cujos efeitos são controversos – frequentemente negativos.

 

A equipe da Dra Sue Shapses, da Universidade Rutgers (EUA), queria medir quanta vitamina D na forma de suplementos pode de fato ter efeitos cognitivos benéficos – melhorar a memória, a aprendizagem e a tomada de decisões – e quanto é demais, passando a gerar prejuízos.

 

A equipe descobriu que mulheres idosas com sobrepeso e obesas que tomaram mais de três vezes a dose diária recomendada de vitamina D apresentaram melhoras na memória e no aprendizado – mas também tiveram tempos de reação mais lentos, o que é problemático por que tempos de reação mais lentos podem aumentar o risco de queda.

 

Suplemento de vitamina D e risco de queda

 

Os pesquisadores avaliaram três grupos de mulheres entre 50 e 70 anos de idade em um estudo controlado randomizado para avaliar o impacto dos suplementos de vitamina D na função cognitiva.

 

Um grupo tomou a dose diária recomendada de 600 unidades internacionais (UI), equivalente a 15 microgramas, de vitamina D por dia, durante um ano. Outro grupo tomou 2.000 UI por dia e o terceiro 4.000 UI. Todas as mulheres participaram de aconselhamento sobre estilo de vida e foram encorajadas a perder uma quantidade modesta de peso.

 

A memória e a aprendizagem melhorou no grupo que tomou 2.000 UI por dia, mas não no grupo que tomou a dose mais alta. Enquanto isso, o tempo de reação das mulheres mostrou uma tendência a ser mais lento com 2.000 UI por dia e foi significativamente mais lento na dosagem mais alta.

 

“O tempo de reação mais lento pode ter outros resultados negativos, como potencialmente aumentar o risco de quedas e fraturas,” disse Shapses. “Isso é possível, já que outros pesquisadores descobriram que a suplementação de vitamina D em cerca de 2.000 UI ou mais diariamente aumenta o risco de quedas, mas eles não entenderam a causa. As descobertas da nossa equipe, indicando um tempo de reação mais lento, podem ser uma resposta. Muitas pessoas acreditam que mais suplementação de vitamina D é melhor, mas este estudo mostra que nem sempre é assim.”

 

A pesquisadora afirma que 4.000 UI por dia pode não ser um problema para pessoas mais jovens, mas para os idosos pode comprometer a caminhada ou a recuperação do equilíbrio para evitar uma queda, porque o tempo de reação é mais lento.

 

E, nunca é demais lembrar, a vitamina D – conhecida por sua importância também para a saúde óssea – pode ser obtida sem custos pela exposição ao Sol e escolhendo alguns alimentos, como peixes de água salgada, ovos, queijo, fígado e alguns cogumelos. Fonte: Diário da Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: